Translate

sábado, 15 de outubro de 2016



Teachers são tudo de bom!
Prazer em ser educadora


Vejam só, que mimo que ganhei da minha aluna Andressa, da turma de aprendizagem em administração. Uma almofadinha fofa (fofa mesmo! Rsrs) e, segundo minha filha Júlia, é para descansar a mão.
Mas o que mais me encantou no presente foi a mensagem que ela imprimiu. A princípio pensei ser de sua autoria, mas perguntei, e ela disse que não.
E este presente me deu mais uma vez a sensação, que as coisas que mais nos dão prazer e alegria, são “aquelas que o dinheiro não compra”. Frase manjada, porém, que faz todo sentido, quando se vive o dia a dia lidando com pessoas, cabeças diferentes, situações diferentes, mundos diferentes.
Ter que entender, encantar, orientar, fazer sorrir e deixar fluir... Sabendo que, mais vale o que fazemos, nosso exemplo, do que o que dizemos a eles(as) todos os dias.
E é essa a possibilidade que a profissão de educador nos dá!!!
E quando recebemos estes feedbacks então!!!
Valha-me Deus!!! O coração palpita. Não só pela emoção, mas por pensar no compromisso que é gerado em nossas vidas, a responsabilidade...
Ter que sermos nós, verdadeiros, sinceros e tendo que aceitar e compreender outras verdades e sinceridades.
E, como eu disse, deixar fluir... Por que, por mais que já tenhamos vivido mais um pouquinho que eles, tendo também um pouco mais de maturidade e experiências, as escolhas sempre serão deles, e somente deles.
E aí, de vez em quando encontra-los, como encontrei um dos meus ex-alunos ontem no ônibus, que me reconheceu, lembrou-se da disciplina que ministrei na turma, e falou que deve ao curso e aos professores a conquista de um trabalho, e de hoje estar no mercado como um profissional bem colocado e reconhecido na empresa onde trabalha.
Oh! Oh! O mérito é todo dele!
Mas aquela sensação de ter colaborado para isto, alimenta, e alimenta muito a nossa certeza de que, o maior tesouro de quem escolheu ou foi levado pela vida a estar nesta profissão é o de SERVIR, como nos ensina o Cristo.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Falando de mudanças






E logo vem à mente aquela trabalheira toda, de encaixotar coisas (fica mais fácil na hora de arrumar), desmontar móveis, carregar caminhão, descarregar caminhão...
Essa também aconteceu a pouco mais de um mês! Rsrsrs
Mas não falo deste tipo de mudança, e sim daquelas que vem pra mexer com tudo... E o interessante é que quando este tipo de período vai acontecer sempre tenho um sonho recorrente. Sonho com rio... já procurei o significado - mudança.
Hein?! Sim, sou daquelas pessoas que acredita. Alias sou das que acredita em tudo que me traz um pouco mais de autoconhecimento. Mas disso vou falar em outro post.
Bem, voltando às mudanças, elas estão vindo de enxurrada... Mas quem manda pedir?!
Tipo assim: “Senhor, quero novidade de vida”! rsrsrs Coisas de evangélico, ou de quem conhece um pouquinho da Palavra. Pois é, e elas vieram.
Mudanças no trabalho... Calma! Não saí de lá, são “no” e não “do”. Mudança de casa, uma nova integrante na família, a gatinha Miumiu (depois falo dela). E ainda vem mais...
Poxa, tenho andado exausta, mas creio que a vida é assim mesmo, feita de momentos de transição, novos ares, novas falas, situações que nos impulsionam para frente!
Eita! Já ia esquecendo, voltando a publicar no blog... Exercício de resistência. Parece fácil, mas não é. Voltando com uma nova proposta. Escrever sobre tudo que vier e der na telha, assim timidamente.
Claro, por que não sou escritora, mas gosto das palavras, da possibilidade que elas nos dão de criar, inventar e comunicar pensamentos, ideias, sentimentos.
E vamo que vamo... O primeiro passo foi dado!!!

domingo, 13 de julho de 2014

  *Dedico este poema ao Poeta português Fernando Santos,
     que sabe, como ninguém, tocar com seus versos a alma feminina.*
Adoração

Adoro teus poemas, são carinhos
Relâmpagos que latejam em meu peito
Renascem sentimentos, que desfeitos
Revivem em teus versos, como em ninhos

Desvendas a beleza que no seio,
Palpita em vendavais, fulgores, chama.
Desejos espalhados como em linho,
De versos, nos lençóis da minha cama.

 Se achas que a distância te afasta
Do lume que derramas sobre mim
Engana-te poeta camarada
São estrelas, que cintilam sem ter fim.

Tu fazes do poema mensageiro, 
Do amor que inda insiste verdadeiro,
Transfeito em palavras de carmim. 

segunda-feira, 9 de junho de 2014

 


Nas asas de um pássaro
 
Passo o tempo esperando,
Que aquele pássaro, em bando,
Volte de novo a cantar.
Na minha janela sombria,
Onde fico noite e dia,
Sonhando o seu regressar.
Oh! pássaro branco e sereno,
Que fica a espreitar pequeno,
Meus delírios ao luar .
Cantas-te a doce trova,
E de mim pediste a prova,
Pra este amor encantar.
Voava em tuas asas,
E em minhas vestes alvas,
Passava a noite a sonhar.
Um dia me levarás,
Como meus sonhos levaram,
Por este céu de luar claro,
Pelo mundo a procurar.
Este amor tão doce e intenso,
Que fez da trova o lamento,
Enquanto vive a esperar.
Tardio 


Espero é que tudo passe
E se espalhe a brisa
Só pela cidade
Desejo que tudo aconteça
E a felicidade cresça e apareça.
Só quero que enquanto é tempo
Se materialize, este pensamento
Sossego não te quero perto
Por mais que esteja descoberto
Prefiro o sol pelo deserto
Queimando o meu peito aberto
Suando e derretendo ao certo
Teimando e em mim gerando um feto
Sagrando e expurgando o nexo
É fácil, mas é tão complexo
Saltar neste abismo incesto
O fardo a carregar não meço
Nem mesmo o despertar te peço
Apenas te esperar serena
A parte que me cabe a pena
A arte que viver condena
Não cabe em mim de tão extrema.